Arquivo da categoria: Pensamentos

Laís…


https://www.facebook.com/poesiasdaarte/

Achei isso navegando…
Quem escreveu, escreveu para alguma Lais
Não eu…
Guardei porque sou toda sentimento…
Não sou de falar…
Não sou de brigar…
Nem argumentar…
Sou de sentir…
Penso…
Reflito…
Aguardo…
Espero…

Quem escreveu, acertou…
Mesmo não sendo eu…
Guardo porque sou toda sentimento…
Difícil quem entenda…
Morri para reputação…
Não quero ter razão…
Morri para meus direitos…
Só me entende…
Quem me sente.

Quem escreveu, escreveu pra mim…
Mesmo sem saber…

Gostei !..

Sempre !..


VIVENDO E APRENDENDO

Eu sou feito de
Sonhos interrompidos
Detalhes despercebidos
Amores mal resolvidos.

Sou feito de
Choros sem ter razão
Pessoas no coração
Atos por impulsão.

Sinto falta de
Lugares que não conheci
Experiências que não vivi
Momentos que já esqueci.

Eu sou
Amor e carinho constante
Distraída até o bastante
Não paro por um instante.


Tive noites mal dormidas
Perdi pessoas muito queridas
Cumpri coisas não prometidas.

Muitas vezes eu
Desisti sem mesmo tentar
Pensei em fugir para não enfrentar
Sorri para não chorar.

Eu sinto pelas
Coisas que não mudei
Amizades que não cultivei
Aqueles que eu julguei
Coisas que eu falei.

Tenho saudade
De pessoas que fui conhecendo
Lembranças que fui esquecendo
Amigos que acabei perdendo
Mas continuo vivendo e aprendendo.

Por: Martha Medeiros

Reinventar

As vezes é muito difícil… dar ouvidos a esperança…
Quando estamos com os sentimentos abalados… sem forças para suportar a dor, desiludidos, desequilibrados, com sentimento de fracasso e rejeição…
A maior arte é se recompor, voltar-se para dentro de si…
Buscar no mais profundo do ser a arte da imaginação… inventar outro mundo…
a Arte de sorrir cada vez que o mundo diz : Não.
A arte de não se render… e se Refazer.
A arte de reaprender a sonhar.

Definitivamente !..

RECOMECE

Quando a vida bater forte
E a sua alma sangrar
Quando esse mundo pesado
Lhe ferir lhe esmagar
É hora do recomeço
Recomece a Lutar

Quando tudo for escuro
E nada iluminar
Quando tudo for incerto
E voce só duvidar
É hora do recomeço
Recomece a Acreditar

Quando a estrada for longa
E seu corpo fraquejar
Quando não houver caminho
Nenhum lugar pra chegar
É hora do recomeço
Recomece a Caminhar

Quando o mal for evidente
E o amor se ocultar
Quando o peito for vazio
E o abraço faltar
E hora do recomeço
Recomece a Amar

Quando voce cair e ninguém
Lhe amparar
Quando a força do que é ruim
conseguir lhe derrubar
É hora do recomeço
Comece a Levantar

E quando a falta de esperança
decidir lhe açoitar
Se tudo que for real
For difícil suportar
Mais uma vez é hora do recomeço
Recomece a Sonhar

Enfim meu povo…
É preciso de um final
Pra poder Recomeçar
Como é preciso cair
Pra poder se Levantar

Nem sempre engatar a Ré
Significa voltar…
Remarque aquele encontro
Reconquiste um amor
Reúna quem lhe quer bem
Reconforte um sofredor
Reanime quem tá triste
E Reaprenda na dor

Recomece, se refaça
Relembre o que foi bom
Reconstrua cada sonho
Redescubra algum dom
Reaprenda, quando errar
Rebole quando dançar

E se um dia,
E se um dia lá na frente
A vida der uma ré
Recupere sua Fé
E Recomece Novamente.

____________ Bráulio Bessa_________

Destino..

AMAR

Que pode uma criatura senão,
entre criaturas, amar?
amar e esquecer,
amar e malamar,
amar, desamar, amar?
sempre, e até de olhos vidrados, amar?

Que pode, pergunto, o ser amoroso,
sozinho, em rotação universal, senão
rodar também, e amar?
amar o que o mar traz à praia,
o que ele sepulta, e o que, na brisa marinha,
é sal, ou precisão de amor, ou simples ânsia?

Amar solenemente as palmas do deserto,
o que é entrega ou adoração expectante,
e amar o inóspito, o cru,
um vaso sem flor, um chão de ferro,
e o peito inerte, e a rua vista em sonho,
 e uma ave de rapina.

Este o nosso destino: amor sem conta,
distribuído pelas coisas pérfidas ou nulas,
doação ilimitada a uma completa ingratidão,
e na concha vazia do amor a procura medrosa,
paciente, de mais e mais amor.

Amar a nossa falta mesma de amor, e na secura nossa,
amar a água implícita, e o beijo tácito, e a sede infinita.

( Carlos Drummond de Andrade )

Coisas… Simples


Uso a palavra para compor meus silêncios.
Não gosto das palavras
fatigadas de informar.
Dou mais respeito
às que vivem de barriga no chão
tipo água pedra sapo.
Entendo bem o sotaque das águas.
Dou respeito às coisas desimportantes
e aos seres desimportantes.
Prezo insetos mais que aviões.
Prezo a velocidade
das tartarugas mais que a dos mísseis.
Tenho em mim esse atraso de nascença.
Meu quintal é maior do que o mundo.
Queria que a minha voz tivesse um formato de canto.
Porque eu não sou da informática:
eu sou da invencionática.
Só uso a palavra para compor meus silêncios.

___Manoel de Barros___

Retirado da Internet

Eu com meus botões


Me considero 8 ou 80…
Vida ou morte…
Sei que, em tudo temos que ter equilîbrio…
Talvez eu até tenha…
Acredito que em algum momento chegarei ao ponto de equilîbrio…
Onde… poderei morrer sem estar morta…
E… poderei viver sem estar viva…

Silent night …

Como é por dentro outra pessoa
Quem é que o saberá sonhar?
A alma de outrem é outro universo
Com que não há comunicação possível,
Com que não há verdadeiro entendimento.
Nada sabemos da alma
Senão da nossa;
As dos outros são olhares,
São gestos, são palavras,
Com a suposição de qualquer semelhança
No fundo.
(Fernando Pessoa)